Home Bio Notícias

  •   Email
 
Inter.Net ouve queixas de usuário no Recife


Fonte: JC - Online
Data: 26/09/2001

Em cumprimento à promessa feita através de reportagem publicada no caderno de Informática do Jornal do Commercio no dia 8 de agosto (Inter.Net promete dias melhores), o presidente da Inter.Net (ex-Elógica), Clovis Lacerda, esteve no Recife anteontem para conversar pessoalmente com usuários atingidos pelos problemas da empresa nos últimos 14 meses de operação no Brasil.

Cerca de 10 pessoas compareceram ao encontro, que, segundo o executivo, teve o caráter de prestação de contas por parte do provedor. “Viemos ouvir as críticas e sugestões dos clientes, além de responder às curiosidades, para que, a partir desses subsídios, possamos melhorar nossa atuação”, afirma Clovis Lacerda. Ele lembra que todos os serviços desativados por causa de transtornos técnicos, como o disco vitual, o e-mail gratuito e as homepages pessoais, já voltaram ao ar.

Na opinião da artesã Cristina Baisch, usuária de Apartnet (serviço de acesso condominial), reuniões de avaliação como a de segunda-feira deveriam ocorrer pelo menos uma vez por mês. “É fundamental para a qualidade e a eficiência do provedor”.

De acordo com o engenheiro Afonso Gutenberg, cliente do provedor desde 1995, a principal queixa dos usuários se referiu ao suporte. “As linhas viviam congestionadas. Passávamos horas para sermos atendidos”, conta. Apesar dos incovenientes, o usuário se mantém otimista: “Acredito que os problemas serão solucionados. Nos últimos dois meses, já melhorou um bocado”.

Para reverter o desgaste de imagem sofrido pela Inter.Net, Clovis Lacerda revela que a empresa está investindo na comunicação com o cliente, por meio do envio constante de comunicados e no lançamento de novos produtos, a exemplo do suporte por chat e da TV Inter.Net, que entrará no ar na próxima semana, trazendo dicas e programas de variedades para os usuários. “Também estamos assumindo uma postura de identificação de problemas antes que o cliente precise telefonar para o suporte”, garante Lacerda. (M.L.D.)

  

Projeto AltasOndas                                                                              Washington D.C., 2005