Home Bio Notícias

  •   Email
Inter.net faz lançamento no Recife, mas portal só estréia em setembro


Fonte: JC - Online
Data: 19/07/2000

por Ana Luiza Aguiar
analuiza@jc.com.br

Entrou no ar de forma experimental, nesta segunda-feira (17), o braço brasileiro da Inter.net. O portal faz parte do grupo PSINet – empresa norte-americana que comprou a Elógica e outros nove provedores no País – e é totalmente voltado para o usuário final. O lançamento oficial só deverá ser no final de setembro, sincronizado com os outros 26 países onde a empresa irá atuar.

A Inter.net já vai nascer como uma multinacional com 550 mil usuários cadastrados. Apesar dos números impressionantes, a empresa quer mais e almeja ser o maior provedor de pessoas físicas do mundo até 2002.

O lançamento do portal no Recife foi na sexta-feira passada (14), com a presença do presidente mundial da Inter.net, David Browning.

Ele veio oficializar Clovis Lacerda, sócio fundador da Elógica, como presidente da Inter.net Brasil. “Clovis provou que não apenas conhece bem os negócios, mas também que sabe superar diculdades ao enfrentar gigantes gigantes nacionais estando no Nordeste do País”, elogiou Browning.

O portal do Inter.net vai ter um uma abrangência internacional. Nele, quando o usuário pesquisar sobre um determinado assunto vai obter informações provenientes dos 27 países em que a Inter.net atua.

Em todos os países, o portal tem o mesmo layout e seções que farão o cruzamento de informações.

No Brasil, o portal entrou no ar com conteúdo próprio em seis Estados, além do Distrito Federal. Entre os seus serviços estão o de acesso ISP global, regional e local, além de e-commerce.

DEMISSÃO – A principal preocupação de Lacerda neste início é como o atendimento ao cliente. Para isso uma das primeiras providências da Inter.net Brasil foi montar um único call center, com 150 pessoas para atender os usuários dos 10 provedores já comprados pela PSINet.

Em contrapartida, a empresa demitiu cerca de 120 profissionais no País. Lacerda justificou as demissões como parte natural do processo de aquisição de novas empresas.

Apesar de oferecerem serviços parecidos, a PSINet e a Inter.net serão duas empresas distintas. A primeira é voltada para o setor corporativo e a segunda se preocupará com o usuário final.

“A Inter.net ainda está sendo tratada como uma braço da PSINet apenas por causa de alguns trâmites legais que ainda não foram concluídos. Mas, até o final deste mês, isso deve ser regularizado”, explicou Lacerda.

  

Projeto AltasOndas                                                                              Washington D.C., 2005