Home Bio Notícias

  •   Email
Elógica tem planos para tornar-se ainda mais forte


Fonte: JC - Online
Data: 20/08/1998

A entrada de grandes provedores nacionais começa a mexer com as empresas locais de acesso à rede mundial de computadores. Maior provedor de Pernambuco, a Elógica, com mais de 10 mil assinantes, anuncia plano de expansão. A intenção do provedor é, até o final do semestre, possuir um backbone próprio junto à Embratel.

Atualmente a Elógica opera em João Pessoa e Belo Horizonte, além do Recife. Também possui uma parceria internacional com a IPass, um pool internacional de provedores constituído em 120 países.

"Através dessa parceria, nosso usuário pode acessar localmente o Recife, tanto do Brasil quanto do Exterior. O acesso da Elogica agora é também mundial", propagandeia o diretor de Internet, Clóvis Lacerda.

A investida da Elógica não é à toa. Acontece no momento da chegada dos gigantes nacionais e em meio a discussões sobre reavaliação de projetos e maior investimento nos serviços para captar mais assinantes e até segurar os já cadastrados.

"O público não é fiel ao provedor, mas a um bom produto. E aí é necessário ter boa conexão e, além de tudo, um bom atendimento ao assinante", ensina a diretora de produtos do Universo OnLine, Márion Strecker.

REAÇÃO - No entanto, a maioria dos diretores dos 28 provedores em atuação no Estado ouvidos pelo JC prefere acreditar numa livre concorrência saudável e com lucros para todos.

"Os grandes provedores não vão acabar com os provedores pernambucanos. Existe o orgulho de ser nordestino, de procurar serviços da terra. Além do mais, eles não têm pop no Interior. E isso é um diferencial da Rede Pernambuco de Informática", defende Anderson Gomes, diretor de Pesquisa e Desenvolvimento do Itep - órgão do governo responsável pela administração do backbone da Rede Nacional de Pesquisa (RNP) no Estado.

"Não vai acabar com os pequenos. Nos Estados Unidos, o America Online tem 5 milhões de assinantes e ainda há um bocado de provedores pequenos. Por que aqui no Brasil acabaria?", questiona o diretor da NetOne, Paulo Crasto.

"O sol nasceu para todos. Se um provedor presta um bom serviço, não há porque temer a concorrência de quem quer que seja", assegura o diretor técnico da HotLink, Gustavo Dias Fernandes.

  

Projeto AltasOndas                                                                              Washington D.C., 2005