Home Bio Notícias

  •   Email
Usuários escolhidos para teste veêm vantagens no novo serviço


Fonte: JC - Online
Data: 19/08/1998

Quem testou a RDSI aprovou. "A tecnologia é uma beleza. Dá um acesso veloz à sua necessidade", referenda o jornalista e escritor Ronildo Maia Leite, um dos usuários escolhidos pela Elógica para testar o novo padrão.

O testemunho do jornalista serviu mesmo para comprovar a vantagem do serviço - enquanto era entrevistado ao telefone, com a mesma linha ele estava plugado à Internet, lendo as notícias em vários jornais do mundo.

"A RDSI é maravilhosa", corrobora o ex-secretário estadual de Educação e Cultura e consultor Fernando Antônio Gonçalves, também usuário da Elógica e que também participa do projeto piloto. Na linha residencial do consultor, a Telpe colocou o NT da Siemens e, no micro, uma placa adaptadora no lugar do modem de 28,8 K.

"Agora praticamente quadruplicou a velocidade e eu posso navegar na Internet e passar fax ao mesmo tempo", diz Gonçalves. "O serviço foi bem feito e agora o meu medo é o teste acabar", brinca o consultor.

A Elógica realmente apostou na nova tecnologia e já possui um módulo no servidor Maxi 4000, da Ascend, com capacidade para 800 linhas RSDI. "Estamos só no compasso de espera", diz o diretor de Internet do provedor, Clóvis Lacerda.

O diretor da Elógica teme, porém, que o padrão seja "atropelado" pela ADSL, tecnologia que permite utilizar as linhas metálicas convencionais com velocidade de 6Mbps e já em fase de estudo pela Telpe.

Às vésperas de iniciar os testes, o Iteci está animado com a tecnologia, que permite uma velocidade maior com custo menor do que a Linha Privativa de Comunicação de Dados (LPCD). "Vale a pena. É possível ao usuário estabelecer dois canais de 64 Kbps pagando um link muito mais barato do que uma linha dedicada", afirma o gerente operacional do provedor, Ricardo Almeida. O aluguel mensal da LPCD de 64 Kbps custa, atualmente, R$ 495 e de 2 Mbps, R$ 6.282.

  

Projeto AltasOndas                                                                              Washington D.C., 2005