Home Bio Notícias

  •   Email
Elógica e Bradesco lançam um novo shopping digital


Fonte: JC - Online
Data: 27/05/1998

Última novidade brasileira no comércio eletrônico, a presenca de shoppings virtuais capitaneados pelos bancos chega ao espaco virtual pernambucano. Desde o início desta semana, está na Internet o ElogicaMall. Parceria do provedor Elógica com o banco Bradesco, o serviço permite compras online - e com pagamento à vista - aos correntistas do banco.

O lançamento do ElogicaMall acontece poucos dias após o ingresso de sites similares em Belo Horizonte e São Paulo. O usuário efetiva a compra ao informar o número do seu cartão - que tanto pode ser o instantâneo, a exemplo das transações já cotidianas no sistema TEF, ou o cartão de crédito BradescoVisa - e a sua senha. "Funcionamos como hospedeiros do Bradesco. Vamos alavancar negócios para o banco e ele vai nos proporcionar novos clientes", resume o diretor de Internet do provedor, Clóvis Lacerda.

O ElogicaMall foi lançado com um cliente, a empresa pernambucana Mundi, que oferecerá produtos multimídia. Mas a expectativa do provedor é de que, até julho, cinco grandes lojas se integrem ao shopping. "Este é o ano do pipoco no comércio vitual", diagnostica Lacerda.

Para colocar o ElogicaMall no ar, somente em equipamentos e softwares, está sendo investido quase R$ 1,5 milhão. O mainframe S390 da IBM administra as lojas que vão operar no site, através do programa E-Commerce. Ou seja, disponibilizará para o usuário dados sobre os produtos, como preço, cor, tamanho, referência. Para efetivar o "contato" do usuário com o sistema, deverá ser baixado o plug-in Wallet Microsoft, que foi customizado pelo pessoal do banco.

No servidor Pentium Pro da IBM, com 256 MB de memória RAM, funcionando no sistema operacional Windows NT, estará o reponsável pela comunicação da Elógica com a sede do banco, em Osasco (SP), o módulo do Secure Eletronic Transaction (SET). Esse protocolo de segurança foi desenvolvido pela Visa e MasterCard e é através dele que trafegarão o número do cartão e a senha do usuário até o banco. Aprovada a conta do cliente, o banco dará, também via SET, a autorização ao provedor para fechar a venda. Pela licença de uso do protocolo, a Elógica paga R$ 1,4 mil mensal.

O contato do provedor com a empresa, segundo Lacerda, vai depender do volume de negócios. "A loja pode repassar seus dados diariamente através da Internet ou de disquete", comenta. O preço do serviço também vai variar da montagem da loja no shopping (se quer, por exemplo, recursos de multimídia). Para uma loja-padrão, a Elógica cobra um aluguel mensal de R$ 350 e percentual de 2% do faturamento.

  

Projeto AltasOndas                                                                              Washington D.C., 2005